Universidade pública na Malásia é a primeira a realizar estudo sobre cânhamo no país

Em colaboração com empresa privada, a Universidade Malásia Perlis fornecerá instalações para o cultivo do cânhamo. As informações são do Utusan Malaysia

Via Smoke Buddies

A Universidade Malásia Perlis (Unimap) está se empenhando para se tornar a primeira universidade pública do país a realizar pesquisas sobre o cânhamo ou a cannabis como produto agrícola com potencial para ser desenvolvido.

Para alcançar esse objetivo, um memorando de entendimento foi assinado entre a Unimap e a empresa MyUS Hemphouse, com sede em Kuala Lumpur, para realizar um estudo sobre o produto.

Vice-chanceler da Unimap, Prof. Dr. Zaliman Sauli disse que o memorando permitirá que a pesquisa e o desenvolvimento sejam realizados na universidade.

Ele disse que a colaboração entre a Unimap, por meio do Instituto de Agrotecnologia Sustentável (Insat), e a MyUS terá como foco as atividades de pesquisa sobre cultivo de cânhamo na área do campus da Unimap Sungai Chuchuh, em Padang Besar.

Ambas as partes realizarão pesquisas sobre os procedimentos e aplicações do cultivo do cânhamo, bem como se concentrarão em materiais funcionais para a agricultura, especialmente para melhorar os produtos agrícolas do país de forma orgânica.

Portanto, com este acordo, as atividades de pesquisa sobre esta cultura podem ser implementadas com sucesso para que a relação entre a universidade e a indústria possa ser fortalecida com o programa de colaboração em pesquisa realizado.

A cultura do cânhamo precisa de um controle rígido e também pode ser uma fonte de economia nacional no futuro porque há países desenvolvidos que permitem a comercialização do cânhamo”, disse Zaliman na cerimônia de assinatura do memorando.

A Unimap foi representada por Zaliman enquanto a MyUS Hemphouse foi representada por seu CEO, Datuk Nellsen Phillipe Young.

A MyUS é uma das empresas que trabalham com o governo para obter permissão para cultivar, manter e administrar a produção de lavouras de cânhamo, bem como produzir produtos inovadores com base na safra para o uso de fibra composta, biodiesel, medicamentos e cuidados de saúde.

A Unimap, por meio do Insat, fornecerá instalações que incluem o uso da terra para o cultivo do cânhamo.

Enquanto a MyUS é responsável por fornecer instalações de infraestrutura, recursos técnicos e assistência para atividades de pesquisa e desenvolvimento.