Open Green

Mais de 30 milhões de pessoas consumiram cannabis na Europa no último ano, revela pesquisa

Os europeus são quatro vezes mais propensos a relatar o uso de maconha com tabaco do que outros métodos, segundo pesquisa da Comissão Europeia. As informações são da Prohibition Partners

Via Smoke Buddies

O inquérito da Comissão Europeia entrevistou 1.000 participantes com mais de 15 anos em cada estado-membro da União Europeia, exceto no Luxemburgo, Malta e Chipre, nos quais foram realizadas cerca de 500 entrevistas. Respondendo à pergunta “Você usou produtos contendo cannabis nos últimos 12 meses?”, aproximadamente 8% das pessoas em toda a Europa afirmaram que haviam consumido um produto de cannabis no último ano.

A prevalência do uso no ano passado variou amplamente entre os países. Dez países tiveram uma prevalência no último ano de 10% ou mais de sua população. A Irlanda teve a prevalência mais alta com 17% ou quase 1 em 5 pessoas usando um produto de cannabis nos últimos 12 meses. No outro extremo do espectro, apenas 1% dos entrevistados gregos disse que havia usado cannabis.

Em toda a UE, os habitantes são quatro vezes mais propensos a relatar o uso de cannabis com tabaco do que métodos alternativos, como vaporizadores, ou em alimentos e bebidas. Estudantes, desempregados (ambos 14%) e autônomos (12%) eram mais propensos do que aqueles em outras categorias socioprofissionais (2-8%) a consumir produtos de cannabis provavelmente devido ao maior tempo para se envolver no consumo. Um pouco mais homens do que mulheres relataram o uso de cannabis (9% vs. 6%), o que é consistente com descobertas anteriores. Além disso, os grupos de idades mais jovens têm maior probabilidade de consumir cannabis, variando de 15% para os de 15-24 anos e 3% para os maiores de 55 anos.

No geral, a nova pesquisa indica que pouco menos de 1 em cada 10 adultos na Europa ou mais de 30 milhões de pessoas consumiram cannabis pelo menos uma vez no último ano. Isso ocorre apesar da proibição contínua da cannabis em todo o continente. Os sinais do fim da proibição começaram a surgir em regiões como os Países Baixos e Luxemburgo, que deverão introduzir um acesso limitado à cannabis para consumo adulto num futuro próximo.

Note-se que estes dados divergem das mais recentes conclusões do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência.

Um porta-voz do Eurobarômetro disse à Prohibition Partners que as razões prováveis ​​para o maior número de usuários registrados de cannabis é que a pesquisa ocorreu no meio da pandemia de Covid-19 e que foi usada uma definição ampla de “produtos com cannabis”.

Taxas mais altas de uso de cannabis estão sendo registradas em todo o mundo durante a pandemiacomo foi previsto pela Prohibition Partners no início de 2020.

Leia também...

Entrar em contato
Envie um whatsapp