Emílio Figueiredo: dez livros para aprofundar seu conhecimento sobre a maconha

Veja os sete títulos que influenciaram a visão de Emílio Figueiredo sobre questões que envolvem a maconha, com uma breve análise do advogado, e outros três que estão na fila de leitura

Via Smoke Buddies

O advogado Emílio Figueiredo, atuante em muitas, e grandes, vitórias judiciais relacionadas ao cultivo doméstico e associativo de maconha com fins terapêuticos no Brasil, recomenda dez títulos para quem quer entender a complexa e multidisciplinar rede de saberes que formam conhecimento sobre o tema e explica os motivos pelos quais estes livros devem fazer parte da estante de todo entusiasta no assunto. Confira a seguir:

  • Maconha, Cérebro e Saúde (2007), de Renato Malcher-Lopes e Sidarta Ribeiro

“Li esse livro em 2008 e ele abriu minha mente para relação da humanidade com a Cannabis como uma tecnologia arcaica de cura que chega ao Sec. XX como uma das fronteiras da ciência. O livro traz de forma bem amigável informações sobre o sistema endocanabinoide, os usos terapêuticos, os efeitos da maconha e sua interação com o sono e sonho. Esse livro foi relançado em 2019 pela Editora Yagé com atualização do conteúdo feita pelo professor João Menezes.”

  • Fumo de Angola: canabis, racismo, resistência cultural e espiritualidade (2016), de Edward MacRae e Wagner Coutinho Alves

“Esse livro é uma coletânea de 23 textos que abordam a complexidade das questões da maconha no Brasil, principalmente o racismo estrutural e aspectos culturais e sacramentais. Todos os textos trazem importante colaboração para o debate e aperfeiçoamento das políticas no Brasil.”

  • The Emperor Wears No Clothes: Hemp and the Marijuana Conspiracy (1985), de Jack Herer, Leslie Cabarga, Jeannie Herer, Roland A. Duby

“Esse é um livro fundamental para compreender tanto os diversos usos da Cannabis quanto que grandes interesses corporativos seu cultivo e produtos contrariavam de modo que gerou a proibição. O livro traz como o uso da Cannabis para fins industriais pode ser uma alternativa como matriz produtiva, sendo para fins têxteis, papel, alimentos, etc, reduzindo o impacto ambiental.”

  • “Fumo de Negro”: a criminalização da maconha no pós-abolição (2019), de Luísa Saad

“Esse livro é resultado da pesquisa histórica da autora que traz uma profunda analise da construção do estigma em torno da maconha no Brasil após a abolição, e também de sua criminalização. A abordagem de questão dos usos ritualísticos em religiões afrobrasileiras também contribuiu muito para construção da minha visão sobre o processo histórico social da maconha no Brasil.”

  • Maconheiros, Fumons e Growers – Um Estudo Comparativo do Consumo e do Cultivo Caseiro De Canábis No Rio De Janeiro e Buenos Aires (2017), de Marcos Verissimo

“O livro é originado na etnografia apresentada como tese de doutorado do autor e nela há uma profunda descrição sobre a categoria de cultura canábica sendo realizada uma comparação entre o que é cultura canábica no Rio de Janeiro e Buenos Aires. O autor compartilha sua vivencia e interlocução com ativistas, usuários e growers, contando sobre a Marcha da Maconha, o Planta na Mente no Rio de Janeiro e a revista THC em Buenos Aires.”

  • Diamba Sarabamba (Coletânea de textos brasileiros sobre a maconha) (1986), de Anthony Henman e Osvaldo Pessoa Jr

“Essa obra de 1986 me encanta por me mostrar que o debate sobre as questões da maconha não são de hoje. Textos sociológicos trazem as experiências dos usuários e a evolução do discurso médico jurídico na tentativa de controle da planta, seus usos e usuários.”

  • Craft Weed Family Farming and the Future of the Marijuana Industry (2018), de Ryan Stoa

“Esse livro me traz uma perspectiva pelo que lutar, uma maconha legalizada, produzida de maneira sustentável, local e artesanal focada na agricultura familiar, e longe dos interesses das grandes corporações. Com entrevistas e pesquisas o autor mostra que com a queda da proibição é possível criarmos um ciclo econômico da cannabis baseado em práticas que realmente focadas nas pessoas e na coletividade, devendo servir para a regeneração do planeta e da humanidade.”

Na fila de leitura…

 

  • O paciente dedo-verde: uma etnografia sobre o cultivo e consumo de cannabis para fins terapêuticos na cidade do Rio de Janeiro (2020), de Yuri Motta

“Estou ansioso para ler esse livro do meu colega Yuri Motta que é resultado da sua pesquisa de mestrado, onde ele investigou como pessoas portadoras de graves doenças (ou seus familiares) se tornam cultivadores de Cannabis para seu tratamento. Ele descreve a interação dos growers com os pacientes e a dinâmica interna de uma associação.”

  • Legalizing Cannabis: Experiences, Lessons and Scenarios (2020), de Tom Decorte, Simon Lenton, Chris Wilkins

“Esse livro ta aqui na prateleira me esperando, e pelo que conheço da competência do Tom Decorte e sua abordagem sobre a Cannabis esse é um livro bem completo sobre a legalização da Cannabis na atualidade. Ele traz as experiencias de vários locais que legalizaram a Cannabis, como Canada, Uruguai e estados norte americanos. Aborda os modelos de reforma da política de drogas e novos aspectos regulatórios com o aprendizado dos erros e acertos com o álcool e o tabaco. Também traz as inovações do mercado de cannabis como forma de aproveitar as oportunidades e superar os gargalos.”

  • Regulating Cannabis: A Global Review and Future Directions (2020), de Toby Seddon, William Floodgate

“Esse livro está a caminho e minha expectativa, assim como o anterior, é entender melhor os desafios da legalização da cannabis no mundo, principalmente, a partir do estudo das experiências regulatórias no mundo, para se ter formas de controle da cannabis como um ciclo econômico e apontar direções para seguir no futuro da regulação.”

 

Direto da fonte

 

Como mestrando em Justiça e Segurança que investiga a produção da verdade legal sobre a cannabis, mas também como advogado e integrante da diretoria da Rede Jurídica pela Reforma da Política de Drogas, a Reforma, Emílio Figueiredo valoriza a interdisciplinaridade que envolve os saberes sobre a maconha, assunto de um bate-papo que rolou ao vivo com a Open Green, empresa que oferece um curso do qual o advogado faz parte do corpo docente.

O curso ‘Cannabis: Habeas Corpus e outras medidas judiciais‘ está com as inscrições abertas, e oferece desconto de até 58% para estudantes ou bacharéis em Direito, que tenham se formado há menos de cinco anos, assim como para jovens advogados, ou seja, profissionais com até cinco anos de registro na OAB. Para saber mais, acesse o site da Open Green ou entre em contato com a equipe de atendimento pelo WhatsApp.