Open Green

Consumo juvenil de maconha diminuiu significativamente em 2021 nos EUA

Pesquisa financiada pelo governo federal dos Estados Unidos revela que houve uma grande queda no uso de cannabis no ano anterior entre alunos da 8ª a 12ª série, apesar de mais leis estaduais de legalização da maconha estarem sendo implementadas em todo o país. As informações foram traduzidas pela Smoke Buddies do Marijuana Moment

O consumo de maconha por jovens “diminuiu significativamente” em 2021, assim como o consumo de substâncias ilícitas por adolescentes em geral, de acordo com uma pesquisa financiada pelo governo federal dos EUA que foi lançada nessa quarta-feira. Isso apesar do fato de que mais leis estaduais de legalização da cannabis estão sendo promulgadas e implementadas em todo o país.

A pesquisa Monitoring the Future (MTF), que acompanha o comportamento e as atitudes dos adolescentes em relação a drogas desde 1975, revelou uma grande queda no uso de cannabis no ano anterior entre os alunos da 8ª, 10ª e 12ª séries.

E embora a pandemia de coronavírus tenha limitado a interação social de uma forma que provavelmente contribuiu para a queda abrupta, os novos dados fornecem mais evidências que apoiam o argumento de que legalizar a maconha para adultos não leva ao aumento do consumo por menores.

Veja como o uso de cannabis no ano anterior mudou para cada categoria de idade de 2020 a 2021:

Alunos da 8ª série: 7,1% relataram uso de maconha no ano passado em 2021, em comparação com 11,4% em 2020
Alunos da 10ª série: 17,3% relataram uso de maconha no ano passado em 2021, em comparação com 28% em 2020
Alunos da 12ª série: 30,5% relataram uso de maconha no ano passado em 2021, em comparação com 35,2% em 2020

O consumo de cannabis ao longo da vida, nos últimas 30 dias e diário entre adolescentes diminuiu de forma semelhante neste ano.

O uso de álcool, vaporização de nicotina e todas as outras drogas ilícitas também “diminuiu significativamente”, constatou a pesquisa, financiada pelo Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas (NIDA) e conduzida por pesquisadores da Universidade de Michigan.

A queda no uso de cannabis no ano anterior é notavelmente mais acentuada em comparação com o consumo de todas as outras drogas ilícitas.

Nunca vimos diminuições tão dramáticas no uso de drogas entre adolescentes em apenas um ano. Esses dados não têm precedentes e destacam uma consequência potencial inesperada da pandemia de Covid-19, que causou mudanças sísmicas na vida cotidiana dos adolescentes”, disse a diretora do NIDA, Nora Volkow, em um comunicado à imprensa.

“No futuro, será crucial identificar os elementos essenciais do ano anterior que contribuíram para a redução do uso de drogas — seja relacionado à disponibilidade de drogas, envolvimento da família, diferenças na pressão dos pares ou outros fatores — e aproveitá-los para informar os esforços de prevenção futuros”, disse ela.

pesquisa, que envolveu a autorrelato de 32.260 alunos em 319 escolas de fevereiro a junho, é outro exemplo de como a narrativa proibicionista de que a legalização da maconha aumentaria o consumo por jovens não está se sustentando.

“Estas últimas descobertas contribuem para o crescente corpo de literatura científica mostrando que as políticas de regulação da maconha podem ser implementadas de uma maneira que fornece acesso para os adultos, limitando simultaneamente o acesso dos jovens e uso indevido”, disse Paul Armentano, vice-diretor da NORML, em um comunicado à imprensa.

A pesquisa MTF de 2020 também descobriu que o consumo de cannabis entre adolescentes “não mudou significativamente em nenhum dos três graus de uso na vida, uso nos últimos 12 meses, uso nos últimos 30 dias e uso diário, de 2019 a 2020”.

Outro estudo financiado pelo governo federal, a Pesquisa Nacional sobre Uso de Drogas e Saúde, foi lançado em outubro mostrando que o uso de maconha entre os jovens caiu em 2020 em meio à pandemia de coronavírus e à medida que mais estados se moviam para promulgar a legalização.

Além disso, uma análise publicada pelo Journal of the American Medical Association em setembro descobriu que a legalização tem um impacto geral no consumo de cannabis por adolescentes que é “estatisticamente indistinguível de zero“.

Na verdade, parece que o estabelecimento de certos modelos de regulamentação da cannabis pode realmente levar a uma redução no uso de maconha entre adolescentes sob certas medidas.

A própria Volkow também admitiu em uma entrevista recente que a legalização não aumentou o uso por jovens, apesar de seus temores anteriores. Um relatório federal divulgado em maio também desafiou a narrativa proibicionista sobre o consumo de maconha.

Com relação a esta última pesquisa MTF, o diretor do Escritório de Política Nacional de Controle de Drogas (ONDCP) da Casa Branca, Rahul Gupta, disse que a “administração Biden-Harris está empenhada em usar dados e evidências para orientar nossos esforços de prevenção, por isso é importante identificar todos os fatores que podem ter levado a essa diminuição no uso de substâncias para informar melhor as estratégias de prevenção no futuro”.

“O governo está investindo níveis históricos de financiamento para programas de prevenção baseados em evidências por que atrasar o uso de substâncias até depois da adolescência reduz significativamente a probabilidade de desenvolver um transtorno por uso de substâncias”, disse ele.

O Centro Nacional de Estatísticas da Educação do Departamento de Educação dos EUA também analisou pesquisas de jovens com alunos do ensino médio de 2009 a 2019 e concluiu que não houve “diferença mensurável” na porcentagem daqueles da 9ª a 12ª série que relataram consumir cannabis pelo menos uma vez em nos últimos 30 dias.

Em uma análise anterior separada, os Centros para Controle e Prevenção de Doenças descobriram que o consumo de maconha entre os estudantes do ensino médio diminuiu durante os anos de pico da legalização da cannabis para uso adulto pelos estados.

Não houve “nenhuma mudança” na taxa atual de uso de cannabis entre estudantes do ensino médio de 2009-2019, descobriu a pesquisa. Quando analisado usando um modelo de mudança quadrática, no entanto, o consumo de maconha ao longo da vida diminuiu durante esse período.

Outro estudo divulgado por autoridades do Colorado no ano passado mostrou que o consumo de cannabis pelos jovens no estado “não mudou significativamente desde a legalização” em 2012, embora os métodos de consumo estejam se diversificando.

Um funcionário da Iniciativa Nacional de Maconha do ONDCP foi ainda mais longe no ano passado, admitindo que, por razões que não são claras, o consumo de cannabis pelos jovens “está diminuindo” no Colorado e em outros estados legalizados e que é “uma coisa boa” mesmo que “não entendamos o porquê”.

Imagem em destaque: Marco Verch / Flickr.

Leia também...

Entrar em contato
Envie um whatsapp